em Artigos

Em plena crise pandémica, o aumento do salário mínimo nacional em 30€ não foi visto com bons olhos pela maioria das empresas dado que muitas se encontram debilitadas pelos efeitos provocados pela Covid-19.

 

Este ano, com a retribuição mínima nos 665 euros, esse encargo mensal passou para 157,94 euros, ou seja, mais 7,13 euros. No total do ano, são mais 99,75 euros que o empregador tem de pagar à Segurança Social.

 

De acordo com o Governo, a subida de retribuição mínima mensal garantida pretendeu valorizar os rendimentos dos colaboradores e estimular o consumo privado. No entanto, perante os sucessivos alertas por parte das entidades patronais, foram criados apoios para suprir o esforço empresarial.

 

Destinatários

  • Todas as empresas cujos colaboradores recebem o salário mínimo nacional (665€)

 

Valor do Apoio

O valo do apoio será fixo, mas assume duas situações:

  • Colaboradores que recebiam o salário mínimo em 2020 (635€) e continuam a receber em 2021 (agora 66€), o apoio a transferir para a empresa é de 84,5€. Neste caso, é devolvido cerca de 84% do acréscimo do pagamento da TSU.
  • Colaboradores que recebiam, em 2020, mais do que 635€, mas menos do que 665€ e que tenham passado a ganhar esse último valor por efeito da subida do salário mínimo, o apoio a transferir para a empresa é de 42,3€.

Pagamento do Apoio

  • Pedido pode ser feito aqui até dia 9 de julho de 2021.
  • Apoio será pago numa única tranche diretamente às entidades empregadoras, no prazo máximo de 30 dias, após 9 de julho.

Mais informação

Estamos disponíveis para conversar consigo e ajudar a sua empresa.

Outras Publicações

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar