em Artigos, Gestão de Pessoas

Chama-se Taxa de Rotatividade, foi integrada no Código do Trabalho e tem como principal objetivo penalizar as empresas que abusem dos contratos a termo.

Neste sentido, a Taxa de Rotatividade será aplicada sobre a massa salarial dos colaboradores com contratos a prazo e terá na base a média anual dos contratos em cada setor de atividade. Esta média será reavaliada e ajustada todos os anos.

Quanto ao indicador setorial anual, esse terá de ser publicado pelo Governo no primeiro trimestre do ano civil. Por sua vez, o apuramento das entidades empregadoras que terão de pagar a taxa é realizado no primeiro trimestre do ano seguinte àquele que diz respeito.

Relativamente às exceções, prevê-se que fiquem isentos da medida, os contratos de trabalho a termo resolutivo celebrado aquando da substituição por licença de parentalidade, incapacidade temporária para o trabalho por doença por período igual ou superior a 30 dias e contratos de trabalho de muita curta duração.

Na prática, como funciona a sua aplicabilidade?

A taxa será apenas aplicada quando a empresa ultrapassar a média de contratos a prazo prevista em cada setor. De salientar que quanto maior for o número de colaboradores acima da média setorial, maior será a penalização.

A medida foi aprovada em 2019, mas só entrará em vigor a partir de 2023, após sucessivos adiamentos.

 

Sabia que através do nosso serviço de Contabilidade e Apoio à Gestão tem acesso a um conjunto de atividades na área dos Recursos Humanos?

Mais informação

Contacte-nos ou envie-nos as suas questões.

Outras Publicações

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar