em Artigos

59 empresas de 16 Estados-membros da União Europeia, testaram entre 2016 e 2017, aquele que poderá ser considerado, em breve, o Programa ERASMUS das empresas. O primeiro ano da experiência revelou-se um verdadeiro sucesso, com um índice de satisfação a rondar os 95%.

Na prática o MobileSME – Projeto Europeu de Mobilidade para Pequenas e Médias Empresas – assenta no envio de trabalhadores qualificados, gestores ou empresários de PME´s para uma empresa do mesmo setor noutro país europeu entre 15 dias e dois meses. Durante esse período, o trabalhador continua a receber o seu salário e a deslocação e estadia são financiadas pela União Europeia.

Mas a ideia é não ficar por aqui… A comissão organizadora pretende reforçar o programa no próximo ano, aumentando o número de participantes para 250 e assim, observar de forma faseada as necessidades das PME´s.

A fase piloto tem permitido detetar mais-valias, mas também vários desafios. Por exemplo, a maioria das empresas participantes tem menos de cinco empregados, os setores que mais se candidatam são os das tecnologias da comunicação, marketing, consultoria e contabilidade. Quanto à área geográfica, os países que mais aderiram foram a Alemanha, a Espanha, a Hungria e a Estónia. A Comissão Europeia considera que outro dos pontos a rever é a divulgação do próprio projeto junto das entidades.

O MobileSME pretende que os profissionais partilhem conhecimentos e experiências e adquiram novas competências. Esta experiência poderá ainda possibilitar a obtenção de ideias para novos produtos e serviços e até estimular a economia e as exportações.

Atualmente, existem na Europa cerca de 23 milhões de Pequenas e Médias Empresas que empregam perto de 90 milhões de pessoas. De acordo com os últimos dados da PORDATA, em 2016, existiam em Portugal mais de 1.200.000 PME´s.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar